publicidade

Policial de 21 anos mata com três tiros empresário de 70 anos em Teixeira de Freitas

O estudante de Direito e policial militar lotado na 87ª CIPM, Leonardo Santos Teixeira, 21 anos, um capixaba de Vitória, em período probatório na Polícia Militar do Estado da Bahia, se apresentou espontaneamente no sábado, 28 de março de 2020, 14 horas depois de ter matado com três tiros, o dono do Segredos Motel, no bairro Estancia Biquíni, na zona oeste de Teixeira de Freitas. O empresário Edvaldo Ferreira da Silva, 70 anos, teria se desentendido com o militar que não tinha dinheiro na carteira para pagar a conta no valor de R$ 20,00. O Motel não aceitava pagamento em cartão, somente em espécie. A situação terminou fazendo a atendente chamar o dono do estabelecimento que repousava no local por volta das 02h da madrugada.

A credencial do militar foi oferecida de garantia até retornar e pagar a conta, mas a carteira funcional teria sido rasgada pelo empresário que inicialmente havia se identificado como segurança. Após uma luta corporal, o empresário em posse do seu revólver registrado teria atirado primeiro e alvejado a acompanhante do policial na clavícula esquerda e o retrovisor do veículo do militar. O soldado teria reagido com quatro disparos e três acertaram mortalmente o empresário com dois tiros na cabeça e um na mão direita. O policial militar alegou legítima defesa, dizendo que agiu de todas as maneiras para evitar qualquer tragédia e só não conseguiu deixar o local porque eles dificultaram a sua saída a todo momento e quando a atendente percebeu a gravidade do problema e resolveu abrir o portão, na saída, ele teria batido o carro numa estrutura de concreto e terminou alcançado pelo o empresário que já retornava lhe atacando a tiros.

Foto 05
Homem estupra e mata a própria neta de 11 anos no município de Prado

Já está preso desde o final da tarde desta sexta-feira, dia 6 de março de 2020, o indivíduo José Raimundo Nascimento dos Santos, o “Cozinho”, de 53 anos, que violentou e matou a própria neta de criação por estrangulamento após violentá-la sexualmente. A garotinha Layla Nascimento dos Santos, de 11 anos, estudava numa escola pública no distrito de Guarany, no município de Prado e todos os dias ela retornava para casa na zona rural a 6 quilômetros da escola no transporte público da Secretaria Municipal de Educação de Prado. Mas naquele dia a garota desapareceu do colégio e não apareceu para embarcar no ônibus escolar.

Com o sumiço da menina, o próprio criminoso se passava por preocupado e ele chegou a ir na Polícia Civil da vizinha cidade de Itamaraju, onde registrou um boletim de ocorrência dando conta que a neta havia sumido de forma misteriosa. Mas os policiais desconfiaram das atitudes do homem e ao apurar os fatos, fez com que ele fosse mostrar onde havia matado e ocultado o cadáver da garotinha. O homem confessou que já havia estuprado a menina pela primeira vez há 6 meses e no dia do crime apanhou a neta da sua esposa na escola usando a desculpa que a avó queria vê-la e a carregou no quadro da sua bicicleta e depois passou ela para garupa da sua moto e a levou em direção a Corumbau como se estivesse levando ela para casa, na fazenda onde morava com os pais – mas antes de chegar a fazenda, na região do Barro Branco na estrada de Corumbau, ele entrou a direita em direção a mata do Parque Nacional do Descobrimento – onde violentou sexualmente a criança e depois lhe estrangulou até a morte. E que resolveu matá-la porque a criança reagiu e ameaçou a contar para os pais.

publicidade