publicidade

Dor e emoção no último adeus ao ex-prefeito Tixa em Mucuri

Por Athylla Borborema

O município de Mucuri se despediu nesta quinta-feira (10/03/2022) do ex-prefeito Firmino Griffo Ribeiro, o “Seu Tixa”, um dos nomes mais importantes da política regional e que deixa um grande legado de decência, amizade, gestão e sabedoria. Seu Tixa foi fumante por quase uma vida e o vício lhe causou na melhor idade um Enfisema Pulmonar.

Nos últimos quatro anos, o político vinha se cuidando mais e passou a frequentar com maior assiduidade os seus médicos especialistas, mas o seu quadro foi se agravando para uma complicação cardíaca. Nesta sua última internação no Hospital Municipal de Teixeira de Freitas, por volta das 03h da madrugada da última quarta-feira (09/03), ele não resistiu e faleceu aos 81 anos de idade.

Muitos admiradores e amigos foram prestar a última homenagem a Tixa

Homenagens

O velório aconteceu na própria casa do Seu Tixa, no distrito de Itabatã, onde muitos admiradores, amigos e parentes permaneceram por todo tempo para prestar a última homenagem. Muitos se emocionaram e muitos foram os relatos registrados em favor da memória do homenageado. Por onde o cortejo passou, o ex-prefeito Tixa foi recebido com palmas e agradecimentos pelo trabalho realizado e pela história que construiu. Dor e emoção marcaram o momento do sepultamento do ex-prefeito no Cemitério Municipal São Miguel Arcanjo, em Itabatã.

“O amigo Tixa foi um dos homens mais importantes da região, chefe de uma família tradicionalíssima, composta somente por gente de bem. Grande influência ele exerceu neste triângulo regional, um ser humano de grande coração, homem do povo, uma grande memória, uma divina reserva moral e um eterno apaixonado pela política. Nos fará muita falta, estamos certos disso, no entanto, estamos felizes por saber que ele muito nos ensinou e contribuiu com o município, que agora, terá direito a um descanso merecido no reino do céu”, disse o advogado Luciano Moreira.

Momento que o prefeito Robertinho estende a Bandeira de Mucuri sobre o funeral do saudoso Tixa

O policial rodoviário federal e ex-vereador Antenógenes da Silva Pereira, irmão de maçonaria de Tixa, lamentou a morte do político Firmino Griffo Ribeiro, dizendo que o município perdeu um grande desbravador, visionário inteligente, pensador especial, um grande articulador, decidido e persistente. “Fica a imagem de um homem público determinado, inteligente e conhecedor da administração pública, que conhecia todos os detalhes de Mucuri. Hoje a cidade se despede de um dos seus mais importantes líderes”.

O atual prefeito de Mucuri, Roberto Carlos Figueiredo Costa, o “Robertinho” (UB), que já havia decretado luto oficial por três dias no município em razão da morte do ex-prefeito Tixa, no culto de corpo presente, homenageou o amigo de antigas batalhas políticas, parceiros de rivalidades e posteriormente aliados, que mesmo na competividade política, se respeitaram com maestria e sempre obedeceram a diversidade do jogo. Robertinho convidou todos os ex-prefeitos, autoridades e os familiares para que se aproximassem da urna fúnebre e se emocionou ao recordar a trajetória de Tixa e prestar a última homenagem ao amigo da velha guarda. Robertinho convidou a todos que com ele, estendessem a bandeira de Mucuri sobre o funeral de Tixa. E celebrou a imortalidade do político expressando um “Viva Tixa”.

Muitas homenagens na despedida do pioneiro Tixa

Quem foi Tixa: 

O nome dele é Firmino Griffo Ribeiro, o “Tixa”, nascido em Brejetuba, cidade do extremo oeste da região serrana do Espírito Santo, em 28 de janeiro de 1941. Seus pais foram Américo Ribeiro de Souza e Iracema Griffo Ribeiro. Na década de 1930, seus pais se mudaram para Penha do Capim, no município de Aimorés, em Minas Gerais, onde seu pai foi tabelião e oficial de registro civil do Distrito a partir de 1943. Após passagem também por Barra de São Francisco (ES), “Tixa” e família retornaram a Brejetuba, em 1955, quando, por desígnios do destino, seus pais se separaram e seu avô, Firmino Teixeira Griffo, resolveu fazer o inventário de suas terras e transferindo aos seus filhos.

E por ser o filho mais velho, “Tixa” passou a ser o chefe da família aos 14 anos de idade, cuidando da mãe e de seus 5 irmãos (Mercedes, Francisco, Américo, Eloísa e Rufino “Uruta”), até que cada um foi completando 21 anos e seguindo seu próprio destino. “Tixa” voltou a Barra de São Francisco para jogar futebol amador e estudar. Um ano após, seu pai recebeu uma proposta para ser Secretário Executivo do prefeito de Mucuri, em terras baianas. Convidando também para Mucuri o agrimensor Silvio Afonso Ribeiro, com quem “Tixa” teve alguns conhecimentos topográficos, trabalhando como auxiliar nas medições de terra no município de Mucuri.

Na época, o jovem “Tixa” trabalhou em diversas áreas, principalmente na gestão administrativa da Prefeitura Municipal de Mucuri, participando ativamente de todas atividades esportivas, sociais, religiosas e políticas do município, constituindo grandes amizades e convivendo harmoniosamente entre os grupos que divergiam politicamente na ocasião. Em 1964, aos 23 anos “Tixa” conheceu uma bela jovem e por quem se apaixonou à primeira vista. O nome dela era Rosilma Morais de Mattos, a “Ziminha”, com quem namorou por 5 anos e casou-se com ela no dia 28 de setembro de 1969, na cidade de Mucuri e viveram felizes por 52 longos anos, até que a morte os separou.

E com “Zilminha” teve três filhos: Sandro Marcelo Mattos Griffo, Alba Valéria Mattos Griffo e Paulo Alexandre Mattos Griffo, sendo que o seu primeiro filho “Sandro” lamentavelmente faleceu em razão de um desastre de carro. Este último é Paulo Alexandre Mattos Griffo, o “Paulinho de Tixa”, que seguiu a carreira política do pai e foi prefeito do município de Mucuri nas gestões 2009/2012 e 2013/2016. O universo da família cresceu com a chegada de cinco netos: Larissa, Layla, Firmino, Marcela e Valentina, além de duas bisnetas.

Ainda no fervor da juventude, “Tixa” com sua habilidade diplomática, conseguiu conquistar os políticos do município e o povo mais humilde tanto da cidade quanto do interior. Em 1970, ajudou a criar o Sindicato Rural Patronal do município de Mucuri, tornando-se seu presidente e teve como sua principal obra a construção e instalação de uma clínica médica e odontológica André Silva Castro, contratando médicos e dentistas. Ainda como presidente do Sindicato, atuou como representante de Mucuri junto ao Conselho Nacional dos Produtores de Cacau que reunia os 102 municípios produtores de cacau no Brasil. Cujas funções lhe deixaram conhecido regionalmente.

Foi fundador da Loja Maçônica Vigilantes de Itabatã, onde foi venerável mestre por 4 mandatos consecutivos e tornou-se grande inspetor da ordem maçônica, colando estado máximo da maçonaria, grau 33, no Rio de Janeiro. Também foi fundador da Loja Maçônica Paz e Bondade de Mucuri, bem como a Inconfidência Baiana, em Posto de Mata, no município de Nova Viçosa. Foi o principal fundador do distrito de Itabatã, onde passou a morar desde 8 de outubro de 1973. Doou mais de 3 mil lotes para constituição do povoamento, que hoje é o 3º maior distrito do Brasil com uma população de 25 mil habitantes e atualmente com possibilidades reais de emancipação política.

Dor e emoção na despedida final do pequeno grande homem “Tixa”

Como cidadão voluntário ajudou a construir o Hospital São José, no distrito de Itabatã, que hoje é a principal referência da saúde pública do município para região. E como líder político e comunitário, foi decisivo na implantação do gigante conglomerado no ramo de Papel e Celulose no município de Mucuri. “Tixa” foi vice-prefeito de 1976 até 1982 na gestão do então prefeito Gustavo Antônio Saúde. Em 1982, indicou e ajudou a eleger a professora Marieta de Azevedo Gazinelli ao cargo de prefeita, tornando-se seu assessor especial por 4 anos, confirmando assim a sua condição de líder político no município.

Em 1992 “Tixa” foi eleito prefeito do município de Mucuri para um mandato que seria compartilhado por decisão do Superior Tribunal de Justiça, se tornando prefeito de Mucuri (1993/1996), tendo exercido o cargo pelos primeiros dois anos, até 18 de outubro de 1994. E entre as obras de seu mandato, destaca-se a construção do sistema de esgotamento sanitário e a construção da maior escola pública do município, a Escola Municipal Frei Ronaldo de Itabatã. Em 2008, indicou e elegeu prefeito, o seu filho, o tabelião de notas e advogado Paulo Alexandre Mattos Griffo, que ficou conhecido como Paulinho de Tixa, sendo reeleito em 2012. “Tixa” sempre foi o braço direito do filho desde o início da primeira gestão de Paulinho.

Honra ao Mérito

O “Seu Tixa” desde muito jovenzinho ainda em Brejetuba já como chefe de família, aprendeu a ser humilde e a tratar a todos com carinho e respeito, se tornou um cidadão honrado, amigo e dono de uma grande reserva moral. Era um capixaba orgulhoso do município de Brejetuba e há cinco décadas apaixonado e casado com terras mucurienses.

Em 2013, o ex-prefeito de Mucuri, Firmino Griffo Ribeiro, o “Seu Tixa”, aos 72 anos, recebeu a mais consagrada homenagem cívica que um homem público pode receber da sua terra natal e foi festejado na presença de toda sua família e dos filhos ilustres daquela cidade. Quando a Câmara Municipal de Brejetuba, na região serrana do sul do Espírito Santo, promoveu uma sessão solene para entrega de títulos de cidadãos honorários a diversas autoridades do Estado e títulos de honra ao mérito a vários filhos ilustres da cidade que fizeram histórias em outros pontos do Brasil.

O ex-prefeito de Mucuri “Seu Tixa”, foi um dos homenageados e no seu discurso ele fez uma alta reflexão sobre a historiografia da sua terra natal (Brejetuba) e descreveu uma biografia que poucos conheciam que deixaram todos surpresos e emocionados que lhe fizeram brilhar os olhos quando se recordaram de fatos vivenciados pelas histórias contadas pelo homenageado.

publicidade