publicidade

Médicos são destaques no Fantástico por realizarem cirurgias bariátricas minimamente invasivas pelo SUS em Teixeira de Freitas

O programa fantástico da TV Globo deste último domingo (06/03), em tributo ao Dia Mundial de Combate à Obesidade, solenizado em 4 de março, destacou uma matéria sobre um mutirão do SUS – Sistema Único de Saúde que atendeu 49 pacientes que esperavam por uma cirurgia bariátrica, em quatro cidades brasileiras, três delas, capitais importantes do Brasil, São Paulo, Curitiba e Recife, mas a 4ª cidade em destaque foi Teixeira de Freitas, de 162 mil habitantes e a 7ª maior cidade do interior da Bahia.

Os médicos teixeirenses protagonistas desse feito, foram Lauro Júnior e Raphael Matos, que sempre foram tidos como profissionais altamente qualificados e inseridos na lista dos médicos mais recomendados desta tríplice mesorregião. A matéria do Programa Fantástico, produzida pela repórter Giuliana Girardi, destacou dentre outros profissionais, o papel dos médicos Lauro Júnior e Raphael Matos em Teixeira de Freitas nas cirurgias menos invasivas para salvar pessoas obesas com inúmeras complicações de saúde.

Na verdade, esses mesmos médicos que, na realidade é um trio de profissionais, formado pelo médicos Lauro Oscar de Lima Júnior, especialista em cirurgia geral e coloproctologia; o médico Raphael dos Santos Matos, especialista em cirurgia geral, cabeça e pescoço; e o médico Manoel Pedro Rodrigues Soares Filho, especialista em anestesiologista, já vem protagonizando esse alivio em centenas de pacientes, não somente no Hospital Municipal de Teixeira de Freitas, como no Hospital São José em Itabatã, no município de Mucuri.

Desde de julho de 2021, que em Mucuri, os médicos vêm de forma inédita atendendo o município, que contratou uma empresa de saúde especializada com os referidos médicos nos quadros, onde realizam cirurgias por videolaparoscopia para retirada de cálculo na vesícula, que são modernas cirurgias menos agressivas. A Laparoscopia ou Cirurgia Laparoscópica é uma via de acesso para cirurgias minimamente invasivas. A retirada dos cálculos por laparoscopia é feita através de pequenos orifícios no abdômen, permitindo uma recuperação fácil e rápida do paciente.

Na cirurgia bariátrica a metodologia dos médicos é a mesma, também usando a videolaparoscopia. Desta forma, para chegar até o estômago os médicos fazem cortes de meio centímetro. Quando a cirurgia não é feita assim, o abdômen do paciente precisa ser aberto. O médico Raphael dos Santos Matos explica que na cirurgia bariátrica, é usado um “grampeador” para diminuir o tamanho do estômago do paciente.

“É como se fosse uma grande máquina de corte e costura. Diminui o tamanho do estômago para que o paciente coma menos e possa emagrecer. Ou seja, a cirurgia bariátrica altera a fisiologia e a estrutura do corpo com objetivo de tratar a obesidade. A videolaparoscopia é um avanço. Mas, infelizmente, no SUS ainda não é aplicado para todos”, salienta o médico Raphael Matos. A partir do início da pandemia da Covid-19, em março de 2020 para cá, o número de operações dessa natureza pelo SUS caiu 82% — já as cirurgias feitas por planos de saúde, houve uma queda pequena.

publicidade